segunda-feira, 15 de maio de 2017

Marítimo martírio.

Não criem seus filhos perto do mar.
Não os levem tão jovens para ver o mar. Eles devem lembrar a primeira vez que viram uma onda arrebentar.
Não deixe que aprendam a operar as tabuas das marés e muito menos que tratem com familiaridade a ressaca anual que tudo viola e arrasta.
Ou, quando todos que nasceram longe do mar falarem do seu espanto e encantamento, vamos parecer inoportunos e descorteses.

Não deixe também que cresçam perto do mar.
Ou, acharão que parte do mar os segue pelo mundo a fora e embriagarão lá as suas referências de orientação espacial e pontos cardeais.
Sofrerão com miragens em dias azuis, cinzas, verdes e, sobretudo, durante as noites.
Por completa estupidez geográfica quando os que cresceram longe do mar forem profundos, nos entranharemos como que em uma invasão bárbara ao centro do contrário.

Arrefeça perto do mar. afogado. cercado. molhado.
Em onda. Vá e volte, indo novamente.
Respire como os embargados. os amontoados.
Em ressaca. vá e volte, atroz. enorme.




segunda-feira, 13 de março de 2017


.é dia de mesóclase.
"Memória

Amar o perdido
deixa confundido
este coração. [...]"

É do Drummond, mas é sobre o que sonho. 

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Todo aquilo tem um pouco de qualquer outra coisa.

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Eu não sei quem sou no dia que uso batom.

quinta-feira, 17 de abril de 2014

O divino, o maravilhoso e o perigoso.

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Até os vinte e poucos anos mudar de opinião era vergonhoso. Eu não sabia bem o que eu era, então alguma coisa tinha que ser fixa e firme para que eu existisse.
Com vinte e muitos, muita coisa mudou. Os quilos a mais, os sapatos de salto alto em meio as sandalhinhas coloridas, a aliança no dedo... Mas, o que mudou mesmo foi a capacidade de mudar! Ampliei meu ser para um devir que pode ser realizado. Se não é mais assim, posso ser assada sem que isso seja um problema grave e ameaçadora para garantir a continuidade da minha presença no mundo. Menos medo de não saber o que fazer, mais leveza nas decisões, mais tolerância no amor... Mais eu no menos eu de cada dia!